terça-feira, 26 de janeiro de 2016

A cura e o desapego: as seguintes sete tarefas

Olá!

Retomando o tema do post de ontem, continuo a descrever as tarefas:

  • a oitava tarefa consistia em escolher um roupeiro, qualquer um, podia ser dos casacos, roupa comum, das tralhas variadas, etc, e limpá-lo e arrumá-lo, em trinta minutos. Ora, se é para começar, é para terminar, digo eu, né? Em trinta minutos eu não conseguiria fazer isto. Então não fiz! Mas ainda vou fazer, e não vou escolher só um, vou andar em todos os armários e roupeiros a fazer o desapego e a limpar. Prometo! 

  • a nona foi outra tarefa que passei por cima: da meditação da tarefa sete deveria ter saído uma lista de projectos a fazer para o melhoramento da casa. A minha lista resumia-se ao compromisso de substituir as lâmpadas fundidas, lembram-se? Não fiz! Ainda não fui comprar lâmpadas novas. Ficou por fazer esta nona tarefa. 

  •  a décima tarefa consistiu em escolher uma data e planear um encontro, jantarzinho, reunião em casa, convidando amigos. Deve ser porque a cura vai a meio e as pessoas que a seguiram à risca não desanimarem, já que tiveram tanto trabalho a lavar tudo, haja alguém "de fora" que vá ver! Então era necessário fazer os convites no próprio dia da décima tarefa e este encontro de amigos deverá acontecer no último fim de semana de Janeiro. Não fiz nenhum convite porque não sei se vou estar por cá ou com paciência para receber visitas. É uma tarefa que fica adiada. Também não convido ninguém que precise receber convite com três semanas de antecedência, pelo que este jantar ainda pode vir mesmo a acontecer no último fim de semana, que é já este que está por vir.

  • a décima primeira tarefa foi voltada para o quarto. Uma limpeza profunda ao quarto , afastando todos os móveis para aspirar por trás e por baixo, trocar os lençóis por outros lavados, apanhar a roupa do chão, lavar os espelhos e os vidros das janelas, etc etc. Basicamente limpar o quarto de cima a baixo. Ora aqui está uma tarefa boa, daquelas que não sou eu que faço! É a Fátima quem me troca a cama e limpa o quarto. Eu só tenho que arrumar as gavetas e dobrar a roupa. Ok... ainda há coisas por fazer, como uma virada no roupeiro e praticar o desapego. Tenciono tirar toda a roupa para fora e limpar todas as gavetas e roupeiro e ver o que está bom para ficar e para doar. Portanto, metade da tarefa está feita e metade por fazer.

  •  a décima segunda tarefa consistiu em sentarmo-nos em casa, sem qualquer aparelho ligado, ie, nada de televisão, ipad, telemóvel. Ficar sentado em silêncio a fazer isso mesmo, ouvir o silêncio. Tarefa pateta, não? Ou melhor, nem sequer é uma tarefa. Faço isto muitas vezes sem sequer pensar sobre isso. 

  •  a décima terceira tarefa relaciona-se com uma frase da Coco Chanel, que dizia para antes de sair de casa retirar-se um acessório colocado. Ie, na sala de estar, ou qualquer outra divisão, retirar peças decorativas e guardá-las noutro sitio por algum tempo. Isto porque supostamente quando estamos muito habituados a ver algo, deixamos de ver na realidade. Bem, eu não retirei nada propriamente porque gosto de todos os meus cacarecos decorativos mas o que fiz foram algumas alterações. Mudei peças de sitio para testar e gostei do resultado. Mas isto é algo que estou sempre a fazer.

  • a décima quarta tarefa é sobre a casa de banho. Dizem eles que os armários/prateleiras/gavetas do wc são ímanes para a tralha acumulada. É verdade e fiz esta tarefa em parte. A minha parte, a parte do meu armário. Porque na do homem não consigo mexer sem a supervisão dele. Mas é algo que o vou obrigar a fazer, sob minha orientação. Tirei tudo do meu armário, limpei muito bem e a seguir estive a ver o que tinha em stock e o que estava sem stock, para comprar, os medicamentos e cremes dentro e fora do prazo, etc. Agora a parte do homem... acreditem ou não, ele acumula ainda mais tralha que eu! Sim, isto é possivel. E se ele fosse como eu, comprometido com a cura e a tentar fazer o desapego, corria bem, mas ele não me facilita a vida. Vou ter de insistir, porque um trabalho pela metade não é satisfatório.

Catorze tarefas descritas, três por descrever, fora as que ainda não foram atribuídas até ao fim da cura, no fim desta semana.

Amanhã continuo!

1 comentário:

Anónimo disse...

Amo-te, curadora.
D.